Meus Poemas-23.


0

PERANTE A CRUZ.

Diante da cruz do meu Mestre querido,
Que é fonte perene de vida e de luz.
Naquela cruz que por mim foi ferido,
Por amor de mim meu amigo Jesus.

Diante da cruz, lugar de tristeza,
Porque meus pecados mataram o Senhor,
Diante da cruz, eu tenho a certeza,
Ele se fez meu Substituto e Redentor.

Diante da cruz, com fé tudo alcanço,
Ali tudo deixei, doenças, tristezas, enfim,
Diante da cruz, encontro descanso,
E graça,amor e paz de Cristo pr’a mim.
Por: António Jesus Batalha.

SALVAÇÃO.

Em mim tenho a salvação,
Com seu sangue me salvou,
Cristo me deu o seu perdão,
E minha alma Ele, resgatou.

Mas para melhor eu ficar,
A Bíblia mostra-me então,
Que a vida devo crucificar,
Para minha santificação.

A morte que custa tanto,
Mas é precisa para mim,
Sem ela não serei santo,
Sem folhagem meu jardim.
Por: António Jesus Batalha.

0

COISAS.

Há muita coisa que não sabem,
Mas, eu sei, sim eu sei…
Profundamente!
E os poucos e raros que sabem,
É como quem não as sente,
Ainda que as conte suavemente,
Mas ninguém as reconhece.
Porque lhe falo em tom alheio,
Algumas conto até a meio,
Outras nem por isso,
Nem mesmo quando parece.
Sim refugiado no meu canto,
Estou bem e entre boa gente.
Na vida feliz e contente,
Destas coisas sono profundo,
Sei muitas coisas, e no entanto.
As fecho e guardo deste mundo.
Por: António Jesus Batalha.

0

VERDADEIRO.

O amor quando é verdadeiro,
Mais forte que ondas do mar,
Sua força é maior que o vento,
Que ninguém consegue amarrar.

Fica em nós a vida inteira,
A correr como um forte rio,
Que cabe lá toda a gente,
Assim como no mar todo o navio.

De dentro de nós ele não sairá,
Nem devagar nem de repente,
Se o quiseres mandar embora,
Mandas embora toda a gente.
Por: António Jesus Batalha.

O BOM PASTOR.

Tenho um Pastor que tudo me dará,
Todo o meu sustento Ele proverá,
Em verdes pastos me faz deitar,
E em águas tranquilas descansar.

A minha alma Ele refrigera,
Nas veredas da justiça me conduz,
Por Seu grande amor, Ele quisera,
Fazer brilhar na minha vida Sua luz.

Se no vale da sobra da morte eu andar,
Ele promete estar comigo não temerei,
Garante uma mesa cheia me preparar,
Na sombra das suas asas descansarei.

Na minha cabeça está Sua unção,
Meu cálice de certo irá transbordar,
A bondade e o amor me seguirão,
Muitos dias na Sua casa irei morar.
Por: António Jesus Batalha.

A Verdade Em Poesia, António Batalha, Bíblia Sagrada, Ciência, Desporto, Deus,Jesus Cristo,

Sobre osbatalhas

Um poeta peregrino
Esta entrada foi publicada em Meus Poemas-23., Poemas com as etiquetas , , , , , , . ligação permanente.

2 respostas a Meus Poemas-23.

  1. Oi Antonio, amei receber sua visita e palavras carinhosas. Estou encantada com seus lindos poemas. Parabéns e sucesso!

    Gostar

  2. Olá Antonio, a Paz de Cristo! Tomei a liberdade e compartilhar o poema “Perante a Cruz” em meu blog. Muito bonito o que escreves, que o Nome de Yeshua seja sempre glorificado através deste dom em sua vida.Abraco e que Deus o abencoe.Kennya (semeando em justiça)

    Gostar

Obrigado e volte sempre.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s